Palestino morre na Cisjordânia, baleado por polícia de Israel

Ramala, 4 jan (EFE).- Um palestino morreu baleado pela polícia de Israel nas manifestações de hoje na Cisjordânia em protesto contra a invasão israelense a Gaza e das quais participaram milhares de pessoas, segundo testemunhas.

EFE |

Ele foi baleado no sudeste de Kalkilia, ao se aproximar ao muro de separação que Israel constrói neste território palestino.

Em Ramala, cerca de 2 mil palestinos percorreram as ruas com cartazes que pediam uma união nacional palestina e o fim da operação do Exército israelense em Gaza, que em nove dias já causou quase 500 mortos e cerca de 2.500 feridos.

Entre os manifestantes, que pediram também a intervenção da comunidade internacional para deter Israel, se encontrava o ex-ministro e deputado independente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mustafa Barghouti.

Barghouti disse que a invasão israelense de Gaza, lançada ontem e na qual morreram cerca de 40 palestinos e um soldado israelense em menos de 24 horas, mostra "a verdadeira cara do Estado Judeu", sem, no entanto, mencionar aos ataques que o Hamas vinha fazendo a Israel desde antes do fim do cessar-fogo, em 19 de dezembro.

Também houve protestos, embora menores, no norte da Cisjordânia.

Em Nablus, cerca de 200 pessoas, sobretudo mulheres, exigiram à comunidade internacional que "quebre seu silêncio" e pressione a Israel.

Cerca de mil pessoas em Jenin e outras 200 em Tulkarem também protestaram.

No sul da Cisjordânia -território sob a autoridade do presidente Mahmoud Abbas- erca de mil manifestantes percorreram as ruas em Hebron com cantos de repulsa à operação israelense.

Em Belém, Beit Jala e Beit Sahur, cidades cisjordanianas a poucos quilômetros de Jerusalém, houve passeatas populares que partiram de distintas igrejas.

A catedral dos Dominicanos, na parte leste (árabe) de Jerusalém, abrigou uma cerimônia ecumênica na qual os máximos representantes das distintas igrejas exigiram o fim da ofensiva israelense em Gaza.

EFE fn-ap/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG