Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Palestino fere 13 israelenses e é morto em Jerusalém

Treze pessoas, a maioria soldados israelenses, foram feridas na segunda-feira por um palestino que lançou seu carro contra pedestres em Jerusalém Ocidental e permanecem hospitalizadas nesta terça-feira.

AFP |

O atentado aconteceu poucas horas depois do presidente israelense Shimon Peres ter encarregado a ministra das Relações Exteriores, Tzipi Livni, de formar um novo governo, após a renúncia do premier Ehud Olmert.

Um oficial matou o autor do ataque, um palestino nascido em Jerusalén Oriental, depois que o veículo do criminoso se chocou contra um muro.

Uma mulher ferida permanece em estado grave e as demais vítimas tem ferimentos leves.

O chefe de polícia local, Aharon Franco, disse apenas aos jornalistas que o autor do atentado é um palestino "da parte leste de Jerusalém", sem dar mais detalhes.

"Ele lançou seu carro contra um grupo de soldados que estava num cruzamento. O carro se chocou em seguida contra um muro, e um dos soldados atirou, matando o terrorista", explicou.

O ataque foi cometido perto da praça Tzahal, a poucas dezenas de metros das muralhas da parte antiga de Jerusalém.

O ministro da Defesa, Ehud Barak, reagiu afirmando que "é preciso destruir o mais rápido possível a casa do autor do atentado, como medida dissuasiva para outros terroristas potenciais".

Em 22 de julho, um palestino feriu 16 pessoas ao lançar uma escavadeira contra pedestres e carros em Jerusalém, antes de ser morto por um policial.

Em 2 de julho, outro palestino, também no volante de uma escavadeira, matou três israelenses e feriu mais de 45 no centro de Jerusalém, antes de ser morto.

Em 6 de março, oito alunos israelenses de um instituto de estudos talmúdicos da parte ocidental de Jerusalém foram assassinados por um palestino, morto pouco depois.

Nos três casos, os autores dos ataques vinham da parte leste de Jerusalém e nos três casos, Barak defendeu a destruição das casas dos terroristas. No entanto, esta medida nunca foi aplicada, por motivos jurídicos.

jlr/yw/LR/fp

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG