Palestina começa reunião para pedir a Abbas que fique no cargo

Ramala, 15 dez (EFE).- O Conselho Nacional Palestino (CNP) começou as deliberações em Ramala para estudar o futuro do presidente da ANP, Mahmoud Abbas, e pedir que permaneça interino pelo menos até a realização das próximas eleições.

EFE |

Nesta terça-feira, o secretário-geral do Conselho Nacional Palestino (CNP), Yasser Abed Rabbo, anunciou que a ANP decidiu adiar por tempo indeterminado a realização das eleições.

"As necessidades nacionais requerem adiar as eleições e maior flexibilidade para fixar uma nova data, a fim de impedir uma maior divisão entre Cisjordânia, Jerusalém Oriental e Gaza", declarou Abed Rabbo à imprensa.

Os encontros, dos quais participam representantes de Gaza e Cisjordânia, durarão dois dias e espera-se que hoje mesmo seja anunciada uma declaração do máximo organismo legislativo da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) pedindo a Abbas para permanecer interino no cargo.

A reunião do CNP coincide com o temor de um vazio de poder na máxima instituição da OLP, representante legal do povo palestino no cenário internacional, e na Autoridade Nacional Palestina (ANP), o regime autônomo previsto nos acordos de paz de Oslo com o objetivo de criar um estado independente.

Abbas preside ambas as organizações desde janeiro de 2005, depois da morte de Yasser Arafat dois meses antes, e seu mandato deve acabar no próximo mês.

No final de outubro, o presidente palestino convocou o pleito para final de janeiro, mas pouco depois adiou por recomendação da Comissão Eleitoral, diante da impossibilidade de realizá-lo em Gaza, onde governa o movimento islamita Hamas.

Em novembro, Abbas expressou sua vontade de não apresentar-se à reeleição, o que, somado à impossibilidade de realizar eleições, disparou os temores no partido Fatah, coluna vertebral da OLP, que ocorra um vazio de poder.

Em declarações a duas agências palestinas, Abed Rabbo, explicou ontem que iria recomendar ao Comitê Executivo que "mantenha Abbas à frente das instituições para que sigam funcionando até que se possam convocar as eleições".

Ontem à noite, o Conselho Revolucionário do Fatah adotou uma resolução com a mesma recomendação. EFE nm-elb/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG