Palau confirma rejeição de presos de Guantánamo a transferência

Sydney (Austrália), 23 jun (EFE).- O Governo de Palau confirmou que vários presos chineses de Guantánamo não desejam ser transferidos a esta pequena nação do Pacífico Sul, informa hoje a agência australiana de notícias AAP.

EFE |

Palau tinha aceitado receber 13 dos 22 uigures da China, capturados em 2001 no Afeganistão e no Paquistão e levados à base naval americana em Guantánamo, na ilha de Cuba, como supostos terroristas.

Um grupo de quatro especialistas de Palau viajou no fim de semana passado a Guantánamo para determinar as necessidades dos detidos, e está previsto que envie um relatório hoje a seu Governo.

Os tribunais americanos ordenaram a libertação desses homens após comprovar que a suposição não tinha fundamento, mas os EUA tiveram dificuldades para alocá-los e a Casa Branca não quer enviá-los de volta à China porque, segundo o Governo dos Estados Unidos, poderiam ser presos e torturados.

Mas cinco membros do grupo afirmam que o Governo local não tem capacidade de protegê-los da China, segundo explicou à AAP Ngiraibelas Tmetuchl, assistente especial do presidente de Palau, Johnson Toribiong.

"Eles estão preocupados com sua segurança. Eles questionam como poderão se defender da China?", disse Tmetuchl.

Palau mantém contatos diplomáticos com Taiwan, o que impossibilita as relações bilaterais com a China, já que Pequim não reconhece a ilha como um Estado soberano. EFE mg/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG