Palácio asteca é descoberto no México

Ruínas de um palácio que teria sido residência do imperador asteca Montezuma foram descobertas no centro da Cidade do México. Arqueólogos mexicanos afirmaram nesta semana que as ruínas eram de um quarto usado por Montezuma para meditar e estavam sob um prédio colonial.

BBC Brasil |

Acredita-se que o palácio de Montezuma, conhecido como Casas Nuevas, era composto por cinco prédios interligados: escritório, quartos de crianças e de várias esposas e até um zoológico.

O quarto com piso de basalto pertenceria à Casa Denegrida, ou Casa Negra, que foi descrito pelos conquistadores espanhóis como um quarto sem janelas todo pintado de preto. Montezuma usaria o quarto para refletir sobre os presságios de adivinhos.

As construções astecas foram arrasadas pelos espanhóis, que construíram a Cidade do México sobre as ruínas. Há muito já se acreditava que o Palácio de Montezuma ficasse nas proximidades do Palácio Nacional mexicano.

"É mais uma pequena peça do quebra-cabeça", diz a arqueóloga Elsa Hernández. "Esperamos encontrar muito mais peças do quebra-cabeças."
Montezuma era o imperador asteca na época da invasão espanhola comandada por Hernan Cortes, em 1519. Ele foi capturado pelos espanhóis e morreu no ano seguinte.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG