Países seguem buscando acordo sobre Zimbábue em cúpula

Por Stella Mapenzauswa JOHANNESBURGO (Reuters) - Líderes de países do sul da África mantiveram prolongadas discussões neste sábado sobre um acordo de divisão de poder para pôr fim à crise política desencadeada com a eleição no Zimbábue.

Reuters |

Uma fonte diplomática a par das conversações disse que ainda não foi alcançado um acordo. As reuniões têm como objetivo aproximar o partido Zanu-PF, do presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, do oposicionista Movimento pela Mudança Democrática (MDC), liderado por Morgan Tsvangirai.

'É altamente improvável que aconteça alguma coisa hoje.

Vamos ver amanhã (domingo)', disse o diplomata no momento em que se encerravam os procedimentos do dia, em Johannesburgo.

Líderes dos 14 países membros da Comunidade de Desenvolvimento do Sul Africano discutiram o esboço de um acordo durante uma reunião de quase cinco horas, a portas fechadas. Segundo diplomatas, tanto Mugabe como Tsvangirai participaram da reunião.

Uma outra fonte diplomática próxima das negociações disse que houve progresso e um acordo poderá ser firmado em breve.

O chefe da mediação nas conversações, o presidente sul-africano, Thabo Mbeki, disse que milhões de pessoas no Zimbábue aguardam uma saída positiva 'com grande expectativa e esperanças elevadas'.

Mbeki se encontrou com os participantes nas conversações da sexta-feira. Ele tem sido amplamente criticado por não assumir uma posição dura com Mugabe. Se um acordo for alcançado durante o encontro, Mbeki vai obter um grande ganho político.

Ao ser indagado sobre seu otimismo em relação ao sucesso das negociações, o secretário-geral do MDC, Tendai Biti, respondeu: 'Meio a meio'.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG