Países se reúnem para acertar detalhes sobre desnuclearização norte-coreana

Pequim, 9 jul (EFE).- Os seis países participantes das negociações para a desnuclearização da Coréia do Norte se reuniram hoje, em intensos encontros bilaterais prévios ao reatamento do diálogo, para acertar os últimos detalhes técnicos sobre a verificação do arsenal norte-coreano.

EFE |

"Não me sinto nem otimista nem pessimista", manifestou o delegado da Coréia do Sul, Kim Sook, após um encontro com os negociadores de Estados Unidos, Christopher Hill, e China, Wu Dawei.

Kim ressaltou que os seis países envolvidos no diálogo -Estados Unidos, China, Coréia do Sul, Coréia do Norte, Rússia e Japão- têm que "manter a calma e discutir com detalhes os principais problemas".

Com o diálogo, que será retomado amanhã, os seis países esperam dar por finalizada a segunda fase do processo de desarmamento, mediante a verificação do inventário das instalações nucleares de plutônio apresentado pela Coréia do Norte no mês passado.

Em troca deste inventário, que não inclui os armamentos produzidos nem o suposto programa secreto de urânio que disparou a atual crise em 2003, os EUA prometeram, em um prazo de 45 dias, tirar a Coréia do Norte do chamado "eixo do mal", e suspender suas sanções econômicas contra o regime.

Na terceira fase, Pyongyang terá que declarar todo o seu arsenal e desmantelá-lo, em troca de receber a ajuda energética e o reconhecimento político prometidos pelos demais países.

Hill assinalou que, em sua reunião com os sul-coreanos, tratou de temas como o processo de verificação do arsenal nuclear e de seu desmantelamento, assim como das contribuições de combustível e alimentos para o regime norte-coreano, entre outros assuntos.

O delegado americano realizará amanhã um café da manhã de trabalho com seu interlocutor russo, Alexei Borodavkin, em um encontro prévio à reunião trilateral de suas duas delegações com a chinesa, que servirá de preparação para a reunião de chefes de delegação, que ocorrerá durante a tarde.

Hill se reuniu ontem, terça-feira, com a delegação norte-coreana logo após aterrissar em Pequim para especificar a forma pela qual vai realizar a verificação do arsenal, para o que propôs a apresentação de documentos, visitas às instalações e entrevistas.

A Coréia do Norte destruiu parte de suas principais instalações de plutônio, em Yongbyon, em 26 de junho, como parte do acordo alcançado em outubro de 2007 com os outros cinco países.

O acordo foi fechado um ano depois de Pyongyang realizar seu primeiro teste nuclear, o que desencadeou uma grave crise internacional e custou ao regime de Kim Jong-il sanções da ONU. EFE mz/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG