Países ricos e emergentes evitam metas concretas sobre aquecimento global

Os líderes dos principais países ricos e emergentes do planeta, incluindo Estados Unidos, Brasil e México, concordaram em trabalhar juntos para reduzir as emissões de gases responsáveis pelo efeito estufa a longo prazo, mas fracassaram em estabelecer metas e prazos concretos para deter o aquecimento global.

AFP |

"Apoiamos uma visão compartilhada para uma cooperação, incluindo uma meta global a longo prazo para a redução das emissões", destacaram os líderes dos 16 países, que emitem 80% dos gases de efeito estufa do planeta, após a sessão ampliada do G8 para tratar do aquecimento global, durante a Cúpula de Toyako, no norte do Japão.

"Atingir nossa meta global a longo prazo requer atingir as metas a médio prazo" adotadas pelos países ricos, assim como os esforços dos países emergentes para reduzir as emissões de gases do efeito estufa, destacaram os 16 líderes reunidos no Japão.



    Leia tudo sobre: g8

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG