Os chefes de Estado das monarquias petroleiras do Golfo aprovaram nesta terça-feira um projeto de acordo que cria uma união monetária entre cinco de seus países, ao término de sua cúpula anual em Mascate, Omã.

Os países incluídos são Arábia Saudita, Barein, Emirados Árabes Unidos, Qatar e Kweit.

Em um comunicado, os dirigentes do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) anunciaram ter "adotado o acordo sobre a união monetária (...), assim como o estatuto do Conselho Monetário".

Além disso, o texto destaca a necessidade de que os países membros "ratifiquem rapidamente o acordo para implementar o Conselho".

O Conselho Monetário terá a missão de "adotar as disposições técnicas da união monetária e preparar a criação de um banco central e o lançamento de uma moeda única", segundo o comunicado.

A iniciativa foi precedida por uma última reunião em Mascate, na terça-feira, dos ministros das Finanças do CCG, na qual foi adotada a versão final do acordo sobre a união monetária, cuja aplicação a partir do próximo ano lançará uma moeda única, segundo um delegado que participa da cúpula.

Os ministros das Finanças, reunidos à margem da cúpula anual do grupo, recomendaram a seus chefes de Estado que "adotem o projeto com a meta de fazê-lo valer antes do fim de 2009", declarou à AFP o delegado, que pediu o anonimato.

O Conselho Monetário idealizado pelo projeto deverá conduzir também à criação do banco central do CCG, que por sua vez ficará encarregado de lançar a moeda única.

A fonte não indicou a data de lançamento da moeda única, anunciada inicialmente para 2010, prazo que gera polêmica entre os membros do CCG.

Além do projeto de acordo sobre a união monetária, que "seria aplicado em um prazo não superior a 12 de dezembro de 2009", antes de ser ratificado por todos os Estados membros, os ministros das Finanças "estabeleceram o estatuto do Conselho Monetário", declarou o titular kweitiano da pasta, Mustafa al Chamali.

tm/ap/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.