Países da UE permanecem na conferência sobre racismo apesar do Irã

Todos os países da União Europeia (UE) que decidiram participar na Conferência da ONU sobre Racismo em Genebra, com exceção da República Tcheca, decidiram nesta terça-feira permanecer nos debates, apesar das polêmicas declarações do presidente iraniano contra Israel.

AFP |

"A União Europeia rejeita nos termos mais duros as declarações do presidente (Mahmud) Ahmadinejad, qualificando Israel de regime racista", afirma a presidência tcheca da UE em um comunicado.

O presidente ultraconservador iraniano provocou uma grande confusão na segunda-feira, primeiro dia da Conferência da ONU "Durban II", ao fazer uma diatribe contra Israel, que levou os representantes europeus a abandonar a sala.

No entanto, entre os países membros presentes em Genebra, somente a República Tcheca decidiu se retirar definitivamente do evento.

Quatro países dos 27 que integram a UE já haviam boicotado a reunião antes do início pela presença do Irã: Itália, Polônia, Alemanha e Holanda.

A presidência tcheca do bloco afirmou que os 22 países que permanecerão até o fim em Genebra não têm nenhum problema substancial com o projeto de documento final da Conferência sobre a luta contra as discriminações e o racismo.

ylf/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG