Países da OMS fecham acordo para impulsionar pesquisas com remédios

Genebra, 24 mai (EFE).- Os países-membros da Organização Mundial da Saúde (OMS) chegaram hoje a um acordo destinado a impulsionar o desenvolvimento de remédios contra doenças presentes nos países em desenvolvimento e a melhorar o acesso dos pobres aos remédios.

EFE |

Durante o debate desta questão no último dia da Assembléia Mundial da Saúde, várias delegações latino-americanas defenderam que a saúde das pessoas deve ser privilegiada frente aos interesses econômicos e comerciais.

Outros países, sobretudo do mundo industrializado, propunham, por outro lado, a busca de um "equilíbrio" entre ambos os aspectos, enquanto outros mantinham uma posição mais dura ao rejeitar que a OMS fosse o meio mais adequado para discutir se a saúde é um direito ou não.

Finalmente, a resolução aprovada hoje aposta em um equilíbrio entre ambas as posições e reafirma a vontade dos Estados de impulsionar a pesquisa e o desenvolvimento de remédios contra patologias ainda muito presentes em países pobres, embora já erradicadas nas nações mais ricos, o que leva o setor privado a não investir por falta de mercado.

A tuberculose a dengue e a malária, são alguns exemplos dessas doenças.

A estratégia aprovada promove assim novos enfoques da pesquisa farmacêutica e do acesso aos remédios, embora o próximo passo seja identificar novas fontes de financiamento para conseguir esse objetivo - uma tarefa que foi encarregada a um grupo de especialistas que deverá apresentar o resultado de seu trabalho na próxima Assembléia Mundial da Saúde, dentro de um ano.

A meta final é conseguir um equilíbrio entre saúde, inovação científica e defesa do interesses comerciais - refletidos nos direitos de propriedade intelectual -, o que para muitos parece impossível, mas permitiria reverter a situação atual que exclui centenas de milhões de pobres dos progressos da medicina. EFE is/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG