Países amazônicos buscam integração entre povos indígenas da fronteira

Bogotá, 15 abr (EFE).- Delegados do Equador, Peru, Brasil e Colômbia, buscarão entre amanhã e sexta-feira uma integração indígena amazônica em um encontro em Bogotá, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

Os delegados e os embaixadores dos países envolvidos e altos funcionários de agências internacionais, participarão do Encontro Amazônico "Fronteiras que unem".

De acordo com as fontes, a integração dos povos amazônicos que dividem fronteira, será buscada "a partir três eixos positivos: o direito dos povos a proteger sua riqueza cultural; a proteção da biodiversidade ambiental e a definição de uma política pública por consenso para integrar a região fronteiriça".

A vice-ministra de Cultura colombiana, Martha Elena Bedoya, assinalou que o propósito da reunião é o de criar um espaço para a troca e a consolidação de propostas destinadas à construção conjunta de uma política fronteiriça.

"Se procura constituir uma aliança fronteiriça que contribua no desenho de uma política pública baseada nos planos de vida dos povos indígenas", explicou Bedoya.

No encontro se espera a participação de delegados das comunidades indígenas cofán, murui, huitoto, coreguaje, muinane, cocama, tikuna, bora e inga, localizadas ao longo da fronteira amazônica, e que têm trabalhado na construção de seus planos de vida para apresentá-los às instâncias governamentais.

"O primeiro passo que deve ser dado pelos países amazônicos é entender que estes territórios limítrofes são territórios ancestrais que devem ser integrados entre os países irmãos", declarou Sebastián Jansasoy, membro da comunidade inga.

Acrescentou que "são territórios de grande riqueza cultural, espiritual, ambiental e pertencem à humanidade".

Foram convidados para a reunião os embaixadores na Colômbia do Brasil, Valdemar Carneiro Leão, do Peru, José Antonio Meier, e da Delegação da Comissão Européia para a Colômbia e Equador, Fernando Cardesa, assim como o cônsul geral do Equador, Carlos Ricardo Solórzano.

Os organizadores do encontro são o Ministério de Cultura colombiano, a ONG italiana Comitato Internazionale per lo Sviluppo dei Popoli (CISP) (Comitê Internacional para o Desenvolvimento dos Povos), e a Fundação indígena Zio-A'I "União de Sabedoria".

Também a Comissão Européia, o Banco da República (emissor) da Colômbia, a Universidade Nacional da Colômbia, sede Amazônia, e a Corporação Andina de Fomento (CAF). EFE rrm/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG