Países aceleram processo de adoção de órfãos haitianos

Encurtando a burocracia ou ignorando a papelada normalmente requerida, autoridades nos EUA e na Holanda abriram caminho para que vários órfãos haitianos possam partir do Haiti, informa nesta segunda-feira a rede de TV americana CNN, citando autoridades dos dois países.

iG São Paulo |

Todas as crianças tinham adoções pendentes com possíveis pais nos dois países antes do terremoto que atingiu o país na terça-feira, e os dois governos disseram que a emissão dos documentos foi agilizada ou até mesmo suspensa para fazer com que as transferências ocorram de uma forma emergencial.

Reuters
Tragédia aumentará número de órfãos no país

Tragédia aumentará número de órfãos no país

Há 300 casos de adoções pendentes com famílias americanas. Seis crianças chegaram à Flórida no domingo à noite. O Ministério de Relações Exteriores da Holanda fretou um aviões para pegar 100 crianças nesta segunda-feira, disse a porta-voz Aad Meijer à CNN.

No Haiti há 380 mil órfãos, de acordo com o Fundo Infantil da ONU, e há expectativa de que o número aumente depois do terremoto. Além disso, aqueles que viviam em orfanatos antes da tragédia podem estar desabrigados agora, já que há informações de orfanatos destruídos na zona do terremoto.

Algumas crianças que perderam seus pais no terremoto ou foram separados deles pela tragédia estão sendo realocados na República Dominicana, informa a CNN citando a Kids Alive International, um grupo de defesa dos direitos das crianças.

Cerca de 50 órfãos e crianças abandonadas chegarão à cidade de fronteira de Jimani na quarta-feira, disse a organização. Os esforços, coordenados com os governos de ambos os países, eventualmente levarão as crianças de volta ao Haiti. Algumas serão reunidas com os pais com os quais perderam a comunicação depois do terremoto.

Veja também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: haititerremoto no haititragédia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG