Pais que rezavam enquanto a filha morria são acusados de homicídio nos EUA

WESTON, Wisconsin - Os pais que rezaram enquanto sua filha de 11 anos morria de diabetes não tratada foram acusados de homicídio na segunda-feira.

AP |

Amigos e familiares pediram que Dale e Lailani Neumann pedissem ajuda, mas o pai considerou a doença um "teste de fé" e a mãe não pensou em levar a filha ao médico por achar que a menina estava sob um "ataque espiritual", afirma o relatório do caso.

"É surpreendente e chocante que ela não pudesse ser atendida por um médico", disse a promotora do distrito de Marathon Jill Falstad. "Sua morte poderia ter sido evitada".

Madeline Neumann morreu no dia 23 de março - domingo de Páscoa - na casa da família. Os policiais informaram aos pais que o corpo seria levado à cidade de Madison para autópsia no dia seguinte.

"Eles responderam: 'Não precisa fazer isso. Ela estará viva", disse o legista no relatório.

A autópsia determinou que Madeline morreu de diabetes não diagnosticada, que a deixou com pouca insulina no corpo. Os registros do caso mostram que ela provavelmente apresentou sinais da doença durante meses.

Os Neumann podem pegar até 25 anos de prisão, caso sejam condenados.

Dale Neumann, 46, ex-policial, afirmou ter amigos que são médicos e que iniciou socorro médico "assim que o sopro da vida deixou" o corpo de sua filha.

Um dia antes da morte de Madeline o pai escreveu um e-mail com o assunto "Ajude nossa filha que precisa de reza urgente!!!". Ele escreveu ainda que a menina estava "muito fraca e pálida no momento e com quase nenhuma força.

A avó da menina, Evalani Gordon, disse à polícia que ficou sabendo que sua neta não conseguia andar no dia 22 de março e aconselhou Leilani Neumann a levar a garota ao médico.

    Leia tudo sobre: eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG