Pais de Madeleine processam por difamação ex-inspetor português

LONDRES - Os pais da menina britânica Madeleine McCann, que desapareceu em 3 de maio de 2007 sem deixar vestígios em Portugal, anunciaram hoje que processarão o ex-inspetor de Polícia português Gonçalo Amaral por difamação.

EFE |

O ex-agente dirigiu as investigações sobre o desaparecimento da menina até ser afastado do caso, em outubro de 2007. Em comunicado emitido no Reino Unido, Gerry e Kate McCann acusam Amaral de fazer comentários "infundados e muito difamatórios".

O casal quer impedir a divulgação de trechos do livro "Maddie, a verdade da mentira", lançado no ano passado e no qual Amaral culpa os pais pela morte da criança, que estava a ponto de completar 4 anos quando desapareceu.

"A principal razão de nossa ação judicial é simples: frear qualquer efeito negativo que essas alegações absurdas e muito ofensivas podem estar tendo na contínua busca de Madeleine", afirmam os médicos britânicos.

"Já não podemos ficar parados e olhar, enquanto o senhor Amaral tenta convencer todo o mundo de que Madeleine está morta", destacam os pais, ao acrescentar que as declarações do ex-policial causaram uma "devastação indescritível" que se soma à "imensa dor e ansiedade" que suportam desde a perda da filha.

Dois anos depois do fato, o desaparecimento de Madeleine McCann do quarto alugado pelo casal na Praia da Luz, no Algarve, continua sendo um mistério, apesar das muitas investigações e do dinheiro empregados na busca da menina. EFE pa/db

    Leia tudo sobre: madeleine mccann

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG