Pais de Madeleine defendem alerta para seqüestro

BRUXELAS - Os pais da menina britânica Madeleine McCann, ainda desaparecida, conclamaram a União Européia (UE) na quinta-feira a implantar um sistema de alerta internacional para responder no caso de crianças seqüestradas, um sistema semelhante ao utilizado nos Estados Unidos.

Reuters |

Kate e Gerry McCann -- cuja filha desapareceu em maio passado de seu quarto em um resort de Portugal -- desejam que os 27 países-membros do bloco elaborem um mecanismo parecido com o Alerta Amber, usado pelos norte-americanos.

Batizado em homenagem a Amber Hagerman, uma menina de 9 anos de idade morta por seu seqüestrador, o Alerta Amber funciona como um sistema de alerta para intempéries climáticas: avisos são divulgados por rádio, TVs e placas nas estradas quando uma criança desaparece.

'Temos quartéis de bombeiro logo à mão para o caso de haver um incêndio. Não esperamos até a cidade transformar-se em cinzas para chamar os bombeiros. E isso não deveria ser diferente', afirmou Gerry McCann em entrevista à Reuters.

Os McCann continuam a ser oficialmente suspeitos no caso.

O sistema de alerta dos EUA teria ajudado a encontrar cerca de 400 crianças sequestradas naquele país desde 2003, a maior parte delas nas primeiras 72 horas.

Na Europa, onde cerca de 130 mil crianças desaparecem todos os anos, apenas a França e a Bélgica possuem um sistema do tipo. A Comissão Européia propôs no ano passado a criação de uma linha telefônica válida para a UE toda a fim de atender a casos de crianças desaparecidas.

Mas a medida ainda precisa ser adotada pelos países-membros.

'Na Bélgica, para que o sistema fosse criado, foi necessário que várias meninas desaparecessem e fossem mortas e que o país chegasse perto de ver motins nas ruas', afirmou Gerry.

'Espero, então, que não precisemos aguardar até as pessoas ocuparem as ruas em outros lugares para que os países da UE adotem de fato essa medida.'

Kate McCann disse que as chances de encontrar sua filha teriam sido maiores se um sistema do tipo já existisse.

'O tempo é o inimigo no caso de crianças desaparecidas', afirmou.

A polícia de Portugal pediu que os McCann regressassem ao Algarve a fim de reconstituírem os fatos ocorridos no dia 3 de maio, quando a filha deles sumiu.

Gerry afirmou que o casal 'precisava de esclarecimentos prévios antes de decidir sobre se voltaria ou não ao território português.

'Nós estamos pedindo mais informações sobre o que eles pretendem conseguir com a reconstituição', disse.

'Obviamente, qualquer coisa que faça o caso avançar, ou que ajude a encontrar Madeleine, contaria com nossa participação. E vamos colaborar da melhor forma possível. Mas há várias perguntas abertas sobre exatamente o que é uma reconstituição, sobre o que isso significa e sobre o que esperam conseguir com isso. Há um diálogo em andamento hoje.'

Gerry afirmou ter esperanças de que a filha seja encontrada.

'Certamente (tenho esperanças). Segundo ficamos sabendo dos EUA, que possuem muita experiência nesses casos, crianças desaparecidas são encontradas e quanto mais nova uma criança, menor a probabilidade de ter sofrido danos graves', disse.

    Leia tudo sobre: madeleine mccann

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG