País da UE pede que bloco receba entre 5.000 e 10.000 refugiados iraquianos

Bruxelas, 25 set (EFE).- Um país da União Européia (UE) pediu hoje que os 27 membros do bloco recebam entre 5.

EFE |

000 e 10.000 refugiados iraquianos, disse o ministro de Imigração da França, Brice Hortefeux, no final de um Conselho de Ministros comunitário.

A Comissão Européia (CE) enviará no início de novembro uma "missão exploratória" para campos de refugiados da Síria e da Jordânia para "identificar as populações mais vulneráveis", declarou por sua vez o comissário de Justiça, Segurança e Liberdades, Jacques Barrot.

Até esta missão não encerrar trabalho, Barrot disse que "é difícil" avaliar o volume de pessoas que poderiam correr mais perigo caso retornem a seu país.

A guerra de 2003 e os altos níveis de violência dos anos seguintes deixaram 4,7 milhões de iraquianos, dos quais 2,7 milhões são deslocados internos e 2 milhões estão em outros países, sobretudo os vizinhos Síria e Jordânia.

Hortefeux afirmou que "um grande Estado membro" da UE evocou, durante a reunião de hoje, a possibilidade de recolher entre 5.000 e 10.000 refugiados iraquianos em toda a União, e acrescentou que a França poderia receber 978.

Esta é a primeira vez em que se mencionam possíveis números, após a possibilidade de receber a refugiados iraquianos ser levantada em abril de 2007 pela Alemanha, onde se debateu a idéia de levar para este país membros da minoria cristã iraquiana.

No entanto, dentro da UE nunca se chegou a falar de assentar em solo europeu membros de alguma confissão religiosa específica, e sempre se falou de pessoas e grupos "vulneráveis" que precisam de proteção. EFE rcf/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG