Pai fica sabendo do assassinato do filho pelo Facebook

Jovem levou tiro na cabeça enquanto passeava na Inglaterra, onde estudava

EFE |

O pai de um estudante indiano assassinado no último dia 26 de dezembro em Salford, no norte da Inglaterra, soube da notícia através do Facebook, informou nesta sexta-feira a rede de televisão "BBC". Anuj Bidve, de 23 anos, que estudava na universidade inglesa de Lancaster e que passava férias na região com um grupo de amigos, levou um tiro na cabeça enquanto passeava perto de seu hotel.

Leia também: Facebook revela contrato original para provar inocência de Mark Zuckerberg

O fato, que a Polícia qualificou como um crime racial, comoveu a opinião pública britânica pela falta de sentido e motivação, já que um dos amigos da vítima explicou que a única razão pela qual foi baleado foi por se negar a informar a hora a seu assassino. Seu pai, Subhasah Bidve, revelou hoje que soube do fato na Índia através do Facebook e lamentou que nem as autoridades britânicas nem as indianas o tenham contatado para comunicar-lhe a morte de seu filho.

"Estou realmente surpreendido, porque a Polícia confiscou seu telefone celular, e por isso tinha o número de sua mãe e o meu. Eles podiam ter ligado", lamentou. Um oficial da Polícia reconheceu hoje que "essa não é a maneira de saber de algo tão devastador" e disse entender completamente o mal-estar da família.

"As redes sociais são instantâneas e não temos controle sobre quando e o que as pessoas publicam nestas páginas", declarou o agente, explicando que tudo ocorreu enquanto as autoridades tentavam entrar em contato com a família pelos meios convencionais. A Polícia ofereceu hoje uma recompensa de 60 mil euros para quem ajudar a encontrar o assassino, enquanto interroga dois jovens de 19 e 20 anos.

    Leia tudo sobre: FacebookmorteindianoReino UnidoInglaterra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG