Roma, 27 fev (EFE).- O pai de Eluana Englaro, a mulher que morreu há duas semanas em Udine após 17 anos em estado vegetativo, está sendo investigado pela Justiça por um possível caso de homicídio voluntário, segundo informou hoje a imprensa italiana.

Uma associação chamada Ciência e Vida denunciou o caso à Procuradoria de Udine, onde estão sendo investigadas 14 pessoas além de Giuseppe Englaro, entre elas o anestesista de sua filha, Amato Da Monte, e vários enfermeiros.

A notícia chega um dia depois que Giuseppe Englaro tivesse que defender o anestesista de sua filha e dois jornalistas perante investigações da Procuradoria sobre fotografias de sua filha.

Englaro afirmou, através de uma nota de seus advogados, que as fotografias de sua filha na clínica onde teve aparelhos que a mantinham viva desligados foram tiradas com sua permissão. EFE fab/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.