O pai da bomba atômica paquistanesa, Abdul Qadeer Kahn, que confessou ter vendido segredos nucleares ao Irã, Coreia do Norte e Líbia, afirmou à AFP que o governo suspendeu todas as restrições impostas a seus deslocamentos.

Em fevereiro, um tribunal de Islamabad ordenou a liberdade de Kahn, depois de cinco anos de prisão domiciliar. Mas a polícia e o Exército prosseguiram com a vigilância e limitavam os deslocamentos do cientista.

Na semana passada, a Alta Corte de Justiça de Lahore pediu explicações sobre o caso às autoridades e programou uma nova audiência para sexta-feira.

Questionado pela AFP sobre informações de que as restrições haviam sido suspensas, "A.Q." Khan respondeu: "Graças a Alá, é correto".

mmg/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.