Padres ameaçam deixar Igreja Anglicana se ordenação de mulheres for aprovada

Mais de 1.300 sacerdotes anglicanos, entre eles vários bispos, anunciaram que deixarão a Igreja Anglicana se o Sínodo Geral, reunido em York (norte da Inglaterra), votar nesta segunda-feira a favor da consagração de mulheres bispos.

AFP |

As divisões dentro da Igreja Anglicana por causa da discussão da consagração de mulheres ao bispado se intensificaram depois do casamento de dois padres homossexuais em meados de junho, em Londres, levando esta comunidade de 77 milhões de fiéis em todo o mundo à beira do cisma.

O Sínodo Geral, a instância que governa essa confissão, tenta alcançar, antes mesmo de um voto, um compromisso com o setor tradicionalista, que rejeita a autoridade de uma mulher bispo.

Apesar de a Igreja da Inglaterra ter se comprometido há alguns anos em ordenar mulheres bispos, os conservadores reclamam que lhes seja garantido por lei o direito de não reconhecê-las em suas paróquias.

Para evitar o cisma, a ala liberal estaria disposta a aceitar um Código de Conduta que permita que, em algumas dioceses, não haja contato com as mulheres bispos.

As divisões na Igreja Anglicana se tornaram quase insuperáveis desde que sua ala americana consagrou, em 2003, um eclesiástico abertamente homossexual, Gene Robinson, como bispo de New Hampshire (nordeste).

As tensões pioraram no ano passado, com a eleição de uma mulher à frente da comunidade anglicana dos Estados Unidos, que conta com 2,5 milhões de fiéis e aceita casamentos de homossexuais.

ame/js/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG