libertação - Mundo - iG" /

Padre francês acusado de pedofilia diz que processo é libertação

Um padre da diocese de Rouen (80 km de Paris), suspeito de agressões sexuais contra menores em 1992 e 1993, reconheceu os fatos e aceitou ser processado como forma de libertação, afirmou nesta sexta-feira seu advogado, Pierre Houpe.

AFP |

O advogado afirmou que seu cliente, o padre Jacques Gaimard, diretor da Rádio Cristã da França (RCF) para a região da Normandia, esperava o indiciamento como uma "libertação".

Em relação aos fatos, o advogado afirmou que uma denúncia foi apresentada contra seu cliente, assim como quatro indícios "de casos que datam de mais de 20 anos atrás e que hoje estão prescritos".

Também destacou que o padre está "arrependido há muito tempo" e que se sente "responsável a ponto de ser seu próprio carrasco".

O advogado afirmou que seu cliente advertiu pessoalmente o arcebispo de Rouen, Jean-Charles Descubes, das suspeitas que pesavam contra ele "antes da prisão preventiva" decretada contra ele na segunda-feira.

Ao investigar o caso, a polícia colocou em evidência outros fatos que poderão ser imputados a outro padre, Philippe Richir, de uma localidade vizinha a Rouen.

Este religioso foi notificado na quarta-feira da qualidade de "testemunha assistida" - situação própria da Justiça francesa que representa uma etapa anterior ao processo judicial - por suspeitas de "posse de imagens de caráter pedófilo-pornográfico".

dau/mcl/lb/fp

    Leia tudo sobre: pedofilia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG