Pacote com explosivos é encontrado na Embaixada da Grécia em Roma

Caixa com cabos, baterias e antenas não continha detonador; na semana passada, embaixadas foram alvos de ataques na cidade

iG São Paulo |

A polícia italiana desarmou um pacote com explosivos encontrado nesta segunda-feira na Embaixada da Grécia em Roma, capital da Itália. Pacotes suspeitos também foram encontrados nas representações diplomáticas de Venezuela e Dinamarca, mas especialistas afirmaram se tratar de alarmes falsos.

Segundo a polícia, o pacote enviado à embaixada grega é semelhante ao encontrado no metrô de Roma na semana passada. Os dois continham cabos, baterias e antenas, mas não continham um detonador.

AP
Policiais e bombeiros são vistos em frente à Embaixada da Grécia em Roma, na Itália, onde pacote-bomba foi encontrado


Também nesta segunda-feira, falsos alarmes de bombas foram registrados nas embaixadas da Finlândia no Vaticano e da Albânia. Pouco depois de anunciarem que uma bomba havia sido desativada na embaixada grega, funcionários das embaixadas da Finlândia e da Albânia suspeitaram dos pacotes recebidos. Os especialistas isolaram a área e investigaram os pacotes, descobrindo que o enviado à legação finlandesa era uma agenda de 2011 e o da sede albanesa era um calendário.

Pouco depois, outros falsos alarmes foram registrados nos escritórios do Egito e na Eslovênia, que também foram isolados, pois os especialistas descobriram que os pacotes suspeitos continham três livros enviados à embaixada eslovena e um calendário recebido na representação egípcia.  Houve falsos alarmes também nas embaixadas do Principado de Mônaco, Venezuela, Dinamarca e Kuwait.

Anarquistas

Na semana passada, ataques com pacotes-bombas feriram duas pessoas nas embaixadas da Suíça e do Chile em Roma. O grupo anarquista italiano FAI (Federação Anarquista Informal) assumiu a autoria dos ataques.

"Decidimos fazer nossa voz ser ouvida com palavras e com fatos, vamos destruir o sistema de dominação, viva a FAI, viva a Anarquia", dizia um bilhete encontrado pela polícia.

O incidente tem semelhanças com um episódio no mês passado na Grécia, onde militantes de extrema esquerda enviaram pacotes-bombas a governos estrangeiros e a embaixadas em Atenas.

A FAI é bem conhecida das autoridades italianas. Serviços de inteligência disseram em um relatório enviado no ano passado ao Parlamento que o grupo é "a principal ameaça terrorista nacional do tipo anarco-insurrecionista". Em dezembro de 2009, o mesmo grupo havia reivindicado o atentado a bomba em um túnel sob a Universidade Bocconi, em Milão. A explosão, às 3h da madrugada, não deixou vítimas.

Os ataques ocorreram num momento de tensão na Itália. Na semana passada, uma manifestação estudantil contra uma reforma universitária terminou em violência e várias prisões no centro de Roma, no mais grave distúrbio na cidade em vários anos.

Medidas de austeridade fiscal adotadas em vários países por causa da crise financeira na Europa têm desencadeado grandes manifestações no continente, e especialistas anteveem uma onda de violência política por parte de grupos de extrema esquerda.

Com AP, EFE e Reuters

    Leia tudo sobre: romaitáliaanarquistasgréciaembaixadapacote-bomba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG