Pacifistas cercam Cidade Antiga de Jerusalém para expressar paz e amor

Jerusalém, 24 jun (EFE) - Cerca de dois mil pacifistas se reuniram hoje junto às muralhas da Cidade Antiga de Jerusalém e deram-se as mãos para expressar o amor pelo local, ponto de discórdia do conflito palestino-israelense, e desejos de paz para a humanidade.

EFE |

Sob o lema de "Amantes de Jerusalém, amantes da humanidade", os participantes desta iniciativa se reuniram esta tarde em três pontos diferentes da cidade.

Os organizadores do evento, denominado "Grande Abraço ao redor da Cidade Antiga de Jerusalém", estimam que mil pessoas se reuniram no Portão de Damasco, um dos principais acessos à cidadela a partir da parte leste ou árabe da cidade.

Os outros mil participantes se reuniram em outras duas localidades para fazer este peculiar "abraço".

"O que queremos mostrar aqui é que há esperança e pessoas diferentes, que cristãos, muçulmanos e judeus podem se reunir, que as pessoas não estão se matando e lutando, que as pessoas querem amor e paz", afirmou à Agência Efe Jeff Goldstein, responsável pela iniciativa.

Nascido nos Estados Unidos, mas morador de Israel há 14 anos, Goldstein ressalta que este tipo de eventos tenta atrair "o espírito e a atmosfera da paz" à cidade.

Iniciativas similares em torno das muralhas da Cidade Antiga de Jerusalém serviram no passado para promover a coexistência entre as três religiões monoteístas mais importantes, a saber, o Judaísmo, o Cristianismo e o Islã.

Mas também foram convocadas por grupos nacionalistas judeus para defender a "unidade e indivisibilidade" de Jerusalém -segundo uma lei do Parlamento israelense de 1981-, frente às negociações políticas com os palestinos, que querem estabelecer a capital do futuro Estado na parte leste da cidade.

Os participantes esperam que esta atmosfera de paz influencie nas conversas políticas mantidas por israelenses e palestinos desde dezembro. EFE db/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG