Paciente que sofreu 1º transplante de rosto nos EUA passa bem, diz médica

Washington, 17 dez (EFE) - Os médicos que praticaram o primeiro transplante de rosto nos Estados Unidos asseguraram hoje que a paciente, cuja identidade não foi revelada, está se recuperando bem. A equipe médica da Cleveland Clinic, no estado de Ohio, nordeste do país, formada por 12 especialistas em assuntos tão diferentes quanto psicologia, bioética e doenças infecciosas, e dirigida pela cirurgiã Maria Siemionow, compareceu á imprensa para dar mais detalhes sobre o transplante. A operação foi realizada há duas semanas, explicou Siemionow, e durou 22 horas. Os médicos reconstruíram 80% do rosto da mulher com o de um doador falecido. A paciente tinha graves lesões no rosto e não tinha nariz ou paladar. Além disso, não podia comer nem respirar normalmente, já que fazia através de um orifício na traquéia.

EFE |

A identidade da paciente não será revelada a pedido da família, que também quer que permaneça em segredo o motivo das graves lesões das quais sofria.

Apesar do segredo com o qual são guardados os detalhes que poderiam levar à identidade da paciente, Siemionow contou "a felicidade que (a paciente) sentiu quando tocou com as mãos o rosto e sentiu que tinha um nariz e uma mandíbula".

A médica disse que a paciente, que só conserva as próprias pálpebras e lábio inferior, está bem e se recupera "segundo o plano".

Este foi o primeiro transplante deste tipo realizado nos Estados Unidos, depois que a Clínica Cleveland foi a pioneira a aprovar o procedimento, há 4 anos.

Siemionow afirmou que a mulher "tinha esgotado todos os meios convencionais de reconstrução", e considerou que o paciente "tem direito" de recorrer a estas novas formas de cirurgias. EFE elv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG