Alcalá de Henares (Espanha), 23 abr (EFE).- O poeta mexicano José Emilio Pacheco, que recebeu hoje o Prêmio Cervantes das mãos do Rei Juan Carlos, fez uma emocionada defesa da associação dos escritores, membros de uma ordem de mendigos que não recebem o reconhecimento merecido por sua obra.

"Não há na literatura espanhola uma vida tão mais cheia de humilhações e fracassos" como a do autor do Quixote, ressaltou Pacheco, que gostaria de ter dado este prêmio ao escritor que dá nome a distinção. EFE ibr/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.