Oviedo nega envolvimento em conspiração contra Lugo

Assunção, 1º set (EFE).- O ex-chefe do Exército paraguaio, o general reformado Lino Oviedo, negou taxativamente hoje sua suposta participação em uma conspiração denunciada pelo recém-empossado chefe de Estado, Fernando Lugo, há duas semanas no poder.

EFE |

Em mensagem à nação, Lugo denunciou que seu antecessor, Nicanor Duarte, estava envolvido em um plano golpista.

A denúncia foi feita a partir do testemunho do general Máximo Díaz Cáceres, responsável pelos contatos entre as Forças Armadas e o Parlamento e que, na noite de ontem, foi supostamente levado por engano a uma reunião na casa do ex-comandante do Exército.

"Desminto categoricamente e me submeto à mais exigente investigação para provar que isto é uma absoluta mentira", afirmou Oviedo, que, no entanto, admitiu que recebeu Duarte e "seus guardas" em casa.

"Não houve conspiração contra ele (Lugo) em minha casa. O que aconteceu foi que Nicanor esteve aqui por 25 ou 30 minutos", acrescentou Oviedo, ao explicar que o ex-governante fez a visita para convidá-lo para um café da manhã de trabalho nesta segunda-feira, junto com vários governadores do Partido Colorado.

Oviedo afirmou que o ex-bispo "está mal informado, não tem experiência política e não sabe que está rodeado das piores víboras".

Lugo disse que, além de Oviedo e Duarte, participaram da reunião o presidente do Senado e do Congresso, Enrique González Quintana, o Procurador-geral do Estado, Rubén Candia, e o magistrado da Justiça Eleitoral Juan Manuel Morales. EFE lb/bm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG