Outros dois ex-presos políticos cubanos chegam a Madri

Ao todo, 11 dissidentes libertados pelo regime de Havana já desembarcaram na Espanha

iG São Paulo |

Mais dois ex-presos políticos cubanos chegaram nesta quinta-feira ao aeroporto de Madri, somando-se aos nove que chegaram nos últimos dois dias. Todos fazem parte do grupo de 52 dissidentes que o regime de Havana se comprometeu a libertar em um prazo de quatro meses.

Luis Milán , de 40 anos, chegou em um voo regular da Iberia, e Mikhail Bárzaga, de 43, chegou em um da Air Europa, segundo uma fonte do ministério de Assuntos Exteriores espanhol. Os dois chegaram ao aeroporto de Barajas, em Madri, acompanhados por seus familiares.

Na última quarta-feira, dois jornalistas , Normando Hernández, 40 anos, condenado a 25 anos de prisão, e Omar Rodoríguez, 44 anos, diretor da Agência Nueva Prensa e condenado a 27 anos de prisão, também chegaram a Barajas, acompanhados de 13 familiares.

Na terça-feira , chegaram Pablo Pacheco, José Luis García Paneque, Léster González, Antonio Villarreal, Julio César Gálvez, Omar Ruíz e Ricardo González.

Segundo a Comissão Cubana de Direitos Humanos, órgão ilegal, porém tolerado pelo governo cubano, com a libertação dos 52 opositores, a maior em mais de uma década, restarão 115 presos políticos na ilha.

O governo Raúl Castro anunciou as libertações na semana passada, durante a visita a Cuba do ministro espanhol de Relações Exteriores, Miguel Angel Moratinos, que fez a mediação com o regime junto com a Igreja Católica cubana para a libertação de dissidentes.

Na última segunda-feira, Moratinos afirmou que os dissidentes cubanos serão cidadãos livres e desfrutarão de plenos direitos. Eles contarão com "o apoio e a assistência" do governo espanhol para que possam encontrar uma casa.

* Com AFP e EFE

    Leia tudo sobre: Cubapresos políticos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG