Ouattara anuncia bloqueio à residência de Gbagbo em Abdijan

Forças francesas atingiram veículos das forças leais a Gagbo durante missão para resgatar embaixador japonês na Costa do Marfim

iG São Paulo |

O presidente eleito na Costa do Marfim, Alassane Ouattara, anunciou, em pronunciamento na televisão marfinense, que estava sendo efetuado um bloqueio à residência de Laurent Gbagbo, que se recusa a deixar o poder. Ouattara exortou os compatriotas à reconciliação e pediu às suas forças que garantam a segurança de Abidjan.

"Um bloqueio foi estabelecido em torno do perímetro da residência onde o presidente não reeleito, Laurent Gbagbo, está entrincheirado com armas pesadas e mercenários", declarou Ouattara.

AFP
Tanque de forças leais a Gbagbo é queimado no jardim da residência do líder que se recusa a deixar o poder
Ouattara disse também que "a luz será feita sobre todos os massacres e crimes" que foram cometidos e que "os autores dos crimes serão punidos", assegurou.

O presidente marfinense, reconhecido pela comunidade internacional, disse ter pedido que os comandantes das forças de segurança tomem todas as medidas para garantir a manutenção da ordem do país. "Peço a todos os meus compatriotas que se abstenham de qualquer ato de vingança", declarou. "A Costa do Marfim é indivisível. Voltemo-nos todos a essa tarefa", afirmou, fazendo apelo à unidade.

Ataques

Nesta quinta-feira, forças francesas atingiram veículos militares pertencentes a tropas leais a Gbagbo, durante uma missão com helicópteros que resgatou o embaixador do Japão na Costa do Marfim.

Os franceses atacaram depois que soldados de Gbagbo invadiram a residência onde o embaixador Yoshifumi Okamura e seu funcionários haviam se abrigado dentro de um cômodo de segurança, disse Thierry Burkhard, porta-voz das Forças Armadas.

As forças francesas, que já contribuíram com investidas de helicópteros para destruir o armamento pesado de Gbagbo, também atingiram duas picapes pertencentes aos homens armados que tentaram invadir a residência do embaixador francês na ex-colônia da França.

Os ataques aconteceram quando forças leais ao presidente eleito Alassane Ouattara faziam cerco à residência do próprio Gbagbo após uma tentativa de retirá-lo de seu bunker na quarta-feira se deparar com uma resistência encarniçada.

Os combates continuaram na capital econômica Abidjan à medida que as forças de Ouattara tentavam depor Gbagbo, que se recusa a ceder o poder depois de perder a eleição presidencial de novembro para Ouattara.

*Com AFP e Reuters

    Leia tudo sobre: Costa do MarfimLaurent GbagboAlassane OuattaraONU

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG