Otunbáyeva garante segurança pessoal do presidente derrubado do Quirguistão

Cairo, 9 abr (EFE).- A chefe do Governo provisório do Quirguistão, Rosa Otunbáyeva, afirmou hoje que a segurança do presidente derrubado, Kurmanbek Bakíev, está garantida e anunciou que os compromissos prévios sobre as bases militares serão respeitados.

EFE |

"Garantimos a segurança pessoal (de Bakíev) e esperamos sua renúncia", afirmou a até agora líder da oposição em entrevista ao vivo para a rede de televisão "Al Jazira".

Otunbáyeva, no entanto, pediu que seja formada uma comissão internacional de especialistas que estude os últimos atos de repressão no país. Ela disse que, localmente, "foram abertas investigações criminais" sobre os aliados mais próximos e "alguns parentes" de Bakíev", "porque houve muitos crimes".

Consultada sobre os supostos planos do Governo interino de fechar uma base militar americana estratégica e manter outra base russa, Otunbáyeva disse que "não há espaço para especulações".

"Manteremos os compromissos firmados previamente", afirmou a chefe do Governo interino. "Sobre a base militar americana, mantemos até o momento nosso compromisso", insistiu a nova governante, que acrescentou que esse não era um tema prioritário para as novas autoridades, que "estão muito ocupadas com grandes temas de segurança".

Consultada sobre uma promessa prévia da oposição de convocar eleições em seis meses, ela respondeu que esse passo seria dado "tão logo se normalizasse a vida" no país, depois de feita uma reforma constitucional.

"Temos um grupo de trabalho para elaborar uma minuta de Constituição. Nas negociações prévias, os três partidos mais importantes da oposição entraram em acordo sobre uma nova Constituição no contexto de uma república parlamentar", acrescentou.

"Ofereceremos essa Constituição ao povo assim e assim que a situação se normalizar cumpriremos nossas promessas", acrescentou.

Otunbáyeva também se referiu à conversa telefônica que manteve ontem com o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, e disse Moscou considerou as "necessidades financeiras e econômicas" do Quirguistão.

Otunbáyeva teme que a violência no país se mantenha porque Bakíev "não está sentado esperando", enquanto se pressiona em favor de sua renúncia. Ela acrescentou que eles têm muito dinheiro e mercenários a sua disposição e acusou o presidente de divulgar rumores contra o Governo interino.

"Mas por enquanto estamos no controle da situação e devemos nos fortalecer dia a dia para controlar todo o país", acrescentou. EFE ag/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG