Sarajevo, 2 dez (EFE).- Soldados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) revistaram hoje, em Pale, na Bósnia-Herzegovina, a casa de Radovan Karadzic, processado pela Justiça internacional por supostos crimes de guerra, em busca de informações sobre uma rede de apoio ao foragido Ratko Mladic.

"Temos motivos para crer que as redes de apoio de Karadzic e Mladic coincidem, e queríamos falar com membros da família de Karadzic sobre sua possível comunicação com os que ajudam Mladic", disse o porta-voz da Otan em Sarajevo, Dereck Chapell, à imprensa local.

A revista em Pale, localidade cerca de 30 quilômetros ao sudeste de Sarajevo, durou das 3h15 às 7h (0h15 a 4h de Brasília).

Chapell disse que membros da Otan conversaram com a esposa de Karadzic, Ljiljana Zelen-Karadzic, e que, durante a revista, havia sete pessoas em casa e que a operação foi útil.

"Embora Karadzic esteja em Haia, a rede de seus ajudantes não pode desaparecer da noite para o dia, e é de nosso interesse e do das autoridades da Bósnia-Herzegovina que seja identificada", disse o porta-voz.

Karadzic, ex-líder político servo-bósnio, foi detido em julho, em Belgrado, após se esconder durante mais de 12 anos, e extraditado ao Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), em Haia, para ser processado.

Mladic, acusado - como Karadzic - de genocídio em relação ao massacre na cidade bósnia de Srebrenica e de outros crimes cometidos durante a Guerra da Bósnia (1992-1995), continua em liberdade e poderia estar escondido na Sérvia. EFE Nh-Sn/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.