Otan pressiona Karzai sobre direito das mulheres afegãs

A Cúpula da Otan pressionou neste sábado o presidente afegão, Hamid Karzai, para que renuncie ao projeto de lei que, segundo os aliados, ridiculariza os direitos das mulheres no Afeganistão.

AFP |

"Penso que esta lei é detestável", disse o presidente americano, Barack Obama, ao final do encontro de dois dias na fronteira franco-alemã, destacando que sua administração deixou isto bem claro ao líder afegão.

Na chamada "Nova Lei sobre a Família Afegã", as mulheres da minoria xiita ficam proibidas de rejeitar seu marido, de abandonar sua casa e de fazer negócios sem a permissão do esposo.

Vários países ocidentais, como Canadá e França, já haviam expressado sua preocupação com o projeto de lei afegão.

Apesar de não concordar com as críticas, Karzai ordenou uma releitura do texto para acabar com a polêmica que ressurgiu na Cúpula da Otan, realizada em Estrasburgo (França), Kehl e Baden Baden (Alemanha).

ha/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG