Otan pede envio de mais tropas para o Afeganistão antes que a situação piore

Washington, 1 out (EFE).- O principal responsável pelas tropas da Otan no Afeganistão, o general americano David McKiernan, pediu hoje o envio de tropas adicionais a este país e mais apoio para combater a insurgência militar antes que a situação continue piorando.

EFE |

McKiernan, que assumiu o comando das tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão em junho, lamentou a falta de recursos das forças internacionais para enfrentar o conflito neste país.

"É necessário que o aumento da capacidade militar que viemos pedindo há muito tempo chegue o mais rápido possível", declarou o general em entrevista coletiva no Pentágono.

O general, que hoje mesmo deve se reunir com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, explicou que não se trata apenas de enviar mais tropas, mas de mais ajuda econômica e mais apoio político também.

O chefe da missão das forças da Otan no Afeganistão disse que detectaram um aumento de combatentes estrangeiros, principalmente do Paquistão, embora também de Chechênia, Uzbequistão e Arábia Saudita, e inclusive da Europa.

Embora tenha avaliado a intervenção do Exército paquistanês na fronteira com o Afeganistão, afirmou que ainda é cedo para determinar sua efetividade.

Fontes militares estimam que a violência no Afeganistão aumentou 30% neste ano em relação a 2007.

Os talibãs se associaram às redes da organização terrorista Al Qaeda e não deixaram de cometer atentados, que aumentaram consideravelmente nos últimos anos.

Durante 2008, morreram mais soldados americanos que em qualquer outro ano desde que em 2001 os Estados Unidos invadiram o Afeganistão.

"Estamos envolvidos em um combate muito duro", declarou McKiernan.

"A possibilidade de que a situação, ao invés de melhorar, possa ser pior é real", acrescentou.

O secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, afirmou na semana passada que tentará mandar mais tropas para o Afeganistão a partir do início do próximo ano.

Alguns oficiais calcularam em 10.000 o número de soldados adicionais que seriam necessários para treinar o Exército afegão e continuar lutando contra a insurgência.

Atualmente a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), sob comando da Otan, conta com mais de 52.000 soldados de cerca de 40 países aliados e associados a esta entidade. EFE elv/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG