Washington, 18 jan (EFE).- O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jaap de Hoop Scheffer, pediu aos diferentes contingentes posicionados no Afeganistão que dinamizem as operações militares.

Em artigo publicado hoje no jornal "The Washington Post", De Hoop Scheffer também criticou duramente o Governo afegão.

"A Otan precisa de uma inserção mais coerente", escreveu o secretário-geral, ao lamentar a "idiossincrasia" vigente, em que diferentes países se encarregam, cada um a sua maneira, das regiões que ocupam.

"Devemos ter mais efetivos comuns em nossos esforços" e "menos restrições geográficas sobre o posicionamento das tropas para apoiar umas as outras", argumentou.

De modo geral, De Hoop Scheffer reconheceu que, mais de sete anos depois da ocupação comandada pelos Estados Unidos, a situação no Afeganistão não melhorou tanto quanto era esperado.

Embora o norte e oeste do Afeganistão tenham registrado melhoras, "o sul e o leste estão desgarrados pela insurgência, a droga e a administração ineficaz", comentou.

O secretário-geral da Otan lamentou a "corrupção" e a falta de eficácia do Governo liderado pelo presidente afegão, Hamid Karzai, que, no entanto, não é citado no artigo.

"O problema fundamental no Afeganistão não é que haja muitos talibãs, mas a falta de uma boa administração", escreveu.

"Pagamos o suficiente, em sangue e dinheiro, para exigir que o Governo afegão empreenda medidas mais concretas e rigorosas para acabar com a corrupção e aumentar sua eficácia (...)", diz De Hoop Scheffer no texto. EFE wm/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.