Otan pede à Rússia cooperar com EUA em defesa antimísseis

Bucareste, 3 abr (EFE) - A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) pedirá amanhã à Rússia deixar de considerar uma ameaça o sistema de Defesa Nacional contra Mísseis que os aliados coordenam com os Estados Unidos e sugerirá que seja analisado um futuro mecanismo partilhado entre a organização e as duas potências.

EFE |

A informação consta do texto final de conclusões da cúpula de Bucareste, aprovado na véspera da reunião dos aliados com o presidente russo, Vladimir Putin, que participa pela primeira vez de um conselho Otan-Rússia.

Putin chegará a Bucareste com um discurso moderado, afirmou hoje a imprensa russa.

A Otan expressou nesta quinta-feira sua "preocupação" com as recentes "declarações e atuações" da Rússia em campos "essenciais" para a segurança, como sua retirada do Tratado de Armas Convencionais na Europa (Face) por divergências com sua atual configuração.

No entanto, está "disposta" a continuar trabalhando com Moscou "como parceiros iguais" em matérias de interesse comum.

A declaração aprovada pelos 26 países-membros da Aliança considera que as discussões bilaterais entre EUA e Rússia em temas como o escudo antimísseis ou não-proliferação de armas de destruição em massa podem servir ao objetivo de uma maior cooperação com a Otan.

Os 26 membros da Otan acordaram dar total apoio ao escudo antimísseis que os EUA querem instalar no Leste Europeu e reconheceram a "substancial proteção" que o mesmo dará à Europa frente a possíveis ataques do Oriente Médio.

O documento lembra que, desde o fim da Guerra Fria, os aliados reduziram em 90% seu arsenal nuclear alocado à Otan.

Ao mesmo tempo, se refere a uma "profunda preocupação" perante os riscos de proliferação nuclear e do sistema de mísseis balísticos no Irã e da Coréia do Norte.

Quanto ao Afeganistão, a Aliança também espera aprofundar na colaboração com a Rússia sobre a questão para o treinamento de oficiais antinarcóticos.

No capítulo de agradecimentos, os aliados elogiaram a vontade russa de facilitar o trânsito através de seu território de material para a missão da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) no Afeganistão.

A Otan, no entanto, pede à Sérvia que aprofunde sua aproximação com a organização. EFE met/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG