Otan pede a EUA que reabram investigação sobre morte de civis afegãos

Cabul, 8 set (EFE).- O chefe militar da Otan no Afeganistão, general David McKiernan, pediu ao comando militar dos Estados Unidos que reabra sua investigação sobre um bombardeio de suas tropas que, segundo a ONU e o Governo afegão, matou 90 civis, anunciou hoje a Aliança Atlântica em comunicado.

EFE |

McKiernan exigiu que a coalizão liderada pelos EUA - que tinha assegurado que no máximo sete civis tinham morrido no ataque do dia 22 de agosto no distrito de Shindand, no oeste do país - "revisasse suas pesquisas à luz das provas de vítimas civis encontradas".

O general se referiu a imagens que mostram corpos de crianças envolvidos em cobertores em uma mesquita.

"Acho que é prudente pedir ao comando dos EUA que envie um oficial para revisar a investigação americana e suas conclusões, levando em conta esta nova prova", disse McKiernan.

O bombardeio causou mal-estar no Governo de Hamid Karzai, que exigiu o fim dos ataques deste tipo contra alvos civis.

A imprensa afegã divulgou hoje um relatório da organização pró-direitos humanos Human Rights Watch (HRW) que acusa as forças estrangeiras de "utilizar cada vez mais ataques aéreos em suas operações" contra a insurgência talibã.

"O uso excessivo de ataques aéreos se transformou na doutrina dominante da guerra dos EUA no Afeganistão. O resultado foi um grande número de vítimas civis", denunciou o estudo. EFE lo/ev/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG