O presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel, pediram neste sábado ao governo afegão que faça respeitar os direitos da mulher, ao término da cúpula da Otan neste sábado em Estrasburgo.

"É uma pedido unânime" dos países da Otan que os direitos da Mulher e do Homem sejam defendidos e respeitados pelo governo afegão, declarou o presidente Sarkozy em uma conferência de encerramento da cúpula.

"Estamos aqui para defender valores. Não decidimos discutir estes valores. Ninguém, nenhum de nós (está aqui para isso). Acredito que a mensagem foi recebida diretamente", acrescentou.

Um projeto de lei afegã, chamado "nova lei sobre a família afegã", vem gerando críticas entre os ocidentais. Ele proíbe as mulheres de negar relações sexuais a seus maridos ou de deixar o domicílio familiar e tomar decisões sem o prévio acordo deles.

"Esperamos que este projeto de lei seja retirado, porque é inaceitável", declarou Merkel.

"Todos no Afeganistão devem ter o direito de viver em toda liberdade", acrescentou.

"Pedimos que os direitos da mulher sejam respeitados", acrescentou o secretário-geral da Otan, Jaap de Hoop Scheffer.

npk/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.