Otan impediu 16 ataques contra navios nos últimos 5 meses

LISBOA - O Comando Conjunto da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em Portugal, que lidera a unidade de combate à pirataria, anunciou nesta quarta-feira que a força naval da entidade frustrou 16 dos 37 ataques registrados contra navios nos últimos cinco meses.

EFE |

Em comunicado, o comando da Otan em Portugal, localizado em Oeiras, nos arredores de Lisboa, considerou como "encorajador" o balanço da operação "Allied Protector", desenvolvida entre março e agosto nas águas do Chifre da África e comandada pela fragata portuguesa "Corte Real".

Além disso, a organização, que informou sobre o registro de 12 sequestros, comunicou que mais de 150 suspeitos passaram por interrogatórios e que com eles foi apreendido um "grande número" de armas.

"Os resultados foram muito encorajadores e contribuíram para um papel crescente dos esforços da Otan no combate à pirataria que continuam hoje com a operação 'Ocean Shield'", sucessora da "Allied Protector", diz a nota.

A "Ocean Shield" ("Escudo Oceânico", em tradução livre) é dirigida pelo Comando Aliado Conjunto de Lisboa e sua primeira fase, que vai até novembro, terá como objetivo lutar contra a pirataria nas águas do Chifre da África com a participarão cinco fragatas, procedentes de Itália, Estados Unidos, Turquia, Grécia e Reino Unido.

O comando de Oeiras acrescenta em seu comunicado que o êxito da missão naval da Aliança ocorre no momento em que "os incidentes de pirataria cresceram no mundo todo" e lembra que 240 ocorrências do gênero foram registradas nos primeiros seis meses de 2009.

O Comando da Otan em Portugal, um dos mais importantes da organização, também é o responsável provisório pelo contingente de resposta rápida da organização, uma de suas principais unidades.

Leia mais sobre pirataria

    Leia tudo sobre: oceanosotanpiratas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG