Bruxelas, 30 abr (EFE).- A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), começou a revisar nesta quarta seu trabalho no Kosovo com a idéia de formar uma futura força de segurança na região, o que, segundo a organização, concorda com as normas da ONU e garante a imparcialidade da missão.

O Conselho Atlântico, formado pelos 26 embaixadores perante a Aliança, deu hoje as diretrizes políticas às autoridades militares para iniciar uma revisão nas próximas semanas do Plano Operacional (OPLAN) da Força Multinacional de Paz em Kosovo (KFOR), "levando em conta novas tarefas que reconheçam a evolução da situação no Kosovo", disse hoje o porta-voz da Otan, James Appathurai.

Os comandantes militares estudarão as diretrizes e dentro de dois meses as devolverão ao Conselho Atlântico para sua eventual aprovação definitiva.

"Tudo que a Otan fizer no Kosovo seguirá as normas da ONU, sempre com o consentimento dos 26 membros. Todos eles terão muito cuidado e atenção para que a KFOR mantenha sua imparcialidade no processo", assegurou Appathurai.

Além do treinamento de forças de segurança kosovares, o projeto inclui o desmantelamento do Corpo de Proteção do Kosovo (TMK), uma unidade de Defesa civil formada por ex-membros do Exército de Libertação do Kosovo (UCK), após sua dissolução em setembro de 1999.

EFE met/plc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.