Otan: Estrasburgo, Baden Baden e Kehl entram em zona de turbulência

A cidade francesa de Estrasburgo e as alemãs de Baden Baden e Kehl vão se tornar nesta sexta-feira e no sábado uma zona de forte turbulência, com a cúpula da Otan: 25.000 policiais estarão frente à frente com dezenas de milhares de manifestantes, segundo as previsões das autoridades.

AFP |

No total, 28 chefes de Estado ou de governo, entre eles o presidente americano, Barack Obama, vão participar da cúpula que, nestes dias 3 e 4 de abril, marcará o 60º aniversário da Otan.

Anarquistas ou pacifistas, passando por autônomos e anticapitalistas, todo o espectro político de manifestantes contra a Otan estará presente, com a intenção clara de impedir o bom andamento da cúpula.

Na Alemanha, o número de manifestantes deve chegar a 25.000 e, na França, 60.000, dos quais 2.000 potencialmente violentos.

Para contê-los, quase 10.000 policiais e gendarmes serão mobilizados na França, aos quais se juntarão as unidades de elite da polícia e da gendarmeria. Haverá também em território francês 200 policiais alemães e seis veículos alemães equipados com jatos d'água.

Na Alemanha, quase 14.600 policiais serão mobilizados em Baden-Baden e Kehl, assim como, extraordinariamente, 600 soldados.

O dispositivo adotado constitui "a maior operação de segurança em território francês desde o G8 de Evian em 2003", afirmou a ministra francesa do Interior, Michèle Alliot-Marie, que visitou Estrasburgo segunda-feira para inspecionar os preparativos.

A ministra evocou nesta quinta-feira no Senado um "risco terrorista maior", assim como a presença de um certo número de extremistas que já manifestaram, principalmente pela internet, sua vontade de praticar desobediência civil e provocação de violência".

O espaço aéreo entre Baden-Baden e Estrasburgo será protegido por uma "bolha", interditado a qualquer aeronave não prevista, e as estradas serão fechadas à circulação.

Desde terça-feira à noite, a polícia vem registrando incidentes com militantes postados em um "vilarejo" ao sul de Estranburgo. Segundo porta-vozes dos grupos anti-Otan, granadas ensurdecedoras e de gás lacrimogêneo foram lançadas pelas forças de ordem, enquanto 150 militantes do campo se reuniram para denunciar os "duros controles de identidade".

Segundo a prefeitura, os policiais agiram em resposta aos manifestantes que lançaram pedras contra as viaturas em que estavam.

A França restabeleceu os controles em todas as suas fronteiras de 20 de março a 5 de abril e impediu a entrada de várias dezenas de pessoas.

A realização desta cúpula em três locais complicou a tarefa de segurança. Baden-Baden fica a 70 km de Estrasburgo, enquanto Kehl é do outro lado da fronteira.

A principal manifestação deve ser uma gigantesca passeata no sábado, mas ela ocorrerá sob altíssima vigilância e mantida longe do centro da cidade. O trajeto é contestado pelos manifestantes, decididos a se aproximar do centro de Estrasburgo.

Duas zonas vermelhas, cercadas de zonas laranjas, serão isoladas na cidade de Estrasburgo, exceto aos residentes com documentos. O restante da cidade será cercado pelas forças de ordem.

bur-/lm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG