Otan e Rússia concordam em fortalecer relações apesar de diferenças

Bruxelas, 11 ago (EFE).- A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e a Rússia fecharam um acordo hoje para fortalecer suas relações sobre assuntos estratégicos comuns, apesar das diferenças que as separam, como o caso da Geórgia.

EFE |

O novo secretário-geral da Otan, o dinamarquês Anders Fogh Rasmussen, se reuniu hoje pela primeira vez com o embaixador russo na organização, Dmitri Rogozin, depois que assumiu o cargo no dia 1º.

Rasmussen e Rogozin se mostraram de acordo em continuar o reatamento dos contatos de alto nível e levar adiante a relação bilateral, indicou, após a reunião, a porta-voz adjunta da Otan, Carmen Romero.

Na reunião, houve algumas propostas concretas para aumentar a cooperação no Afeganistão e compartilhar informações durante a elaboração do novo conceito estratégico aliado.

Ambas as partes insistiram que o conselho Otan-Rússia "seja um fórum mais ativo" e que reflita sobre as questões do dia a dia, acrescentou Carmen.

Além do Afeganistão, a pirataria, a proliferação de armas nucleares, o terrorismo e o narcotráfico são alguns dos assuntos sobre os quais a Otan e Moscou podem ampliar sua cooperação, explicou.

Rogozin disse ainda que o ministro de Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, está disposto a ter uma primeira reunião com Rasmussen quando os dois estiverem em Nova York, em setembro, durante a próxima Assembleia Geral das Nações Unidas.

O conflito na Geórgia, que acaba de completar o primeiro aniversário de seu início, foi discutido e as duas partes concordaram que suas diferenças sobre o tema não devem impedir o fortalecimento de suas relações.

Moscou e a Otan suspenderam suas relações em agosto do ano passado, após a guerra entre a Rússia e a Geórgia pelo controle da Ossétia do Sul e o reconhecimento por parte de Moscou da independência desta e da região separatista da Abkházia. EFE rcf/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG