Otan busca rotas alternativas para entrar no Afeganistão

Londres, 9 dez (EFE).- Os países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) buscam rotas alternativas e seguras para levar provisões a suas forças no Afeganistão, após os ataques sofridos por veículos ocidentais no Paquistão, informa hoje o jornal britânico The Guardian.

EFE |

Segundo o jornal, a Otan negocia com Turcomenistão, Uzbequistão e Tadjiquistão para atravessar suas fronteiras e poder abastecer as forças da aliança pelo norte.

O acordo, que aparentemente está perto de ser alcançado, segue a outro conseguido com Moscou este ano que permite que as provisões da Otan sejam transportadas por ferrovia e estradas através da Rússia, ressalta o "Guardian".

O acordo permitiria o transporte de mais gasolina às forças da Otan das refinarias em Baku, Azerbaijão e Turcomenistão, levando em conta que a maioria do combustível utilizado pelas forças aliadas no Afeganistão procede do Paquistão.

Alemanha e Espanha, cujas tropas estão baseadas na região mais ao norte e oeste do Afeganistão, negociaram acordos de transporte aéreo bilaterais com a Rússia, segundo o "Guardian".

Fontes da Otan assinalaram que a organização negocia com Ucrânia e Belarus para seguir uma rota terrestre, o que permitiria evitar passar pelo Paquistão.

Cerca de 100 caminhões carregados com veículos militares para as tropas ocidentais no Afeganistão foram atacados no domingo, possivelmente por talibãs, na cidade paquistanesa de Peshawar.

Um relatório divulgado ontem pelo Conselho Internacional de Segurança e Desenvolvimento (ICOS) assinalou que os insurgentes talibãs conseguiram uma presença permanente em 72% do território do Afeganistão e estão se aproximando de Cabul.

Este grupo britânico ressaltou que há um ano a presença dos talibãs chegava a 54% do território afegão. EFE vg/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG