Ossétia do Sul usa gripe como pretexto para fechar fronteira com Geórgia

Moscou, 4 ago (EFE).- A região separatista georgiana da Ossétia do Sul anunciou hoje o fechamento de sua fronteira administrativa com a Geórgia para evitar provocações por parte do Governo de Tbilisi e a propagação da gripe suína.

EFE |

"Disponho fechar a fronteira estadual da Ossétia do Sul para proteger a população da gripe suína e impedir todo tipo de provocações por parte da Geórgia", disse o Ministério de Imprensa da Ossétia do Sul, reproduzindo uma ordem do líder da região, Eduard Kokoiti.

Em reunião com os responsáveis de Defesa, Interior e Segurança da região, Kokoiti disse que, a partir de meia-noite, deve ficar proibido o cruzamento da fronteira tanto em transporte automotivo quanto a pé, segundo a agência russa "RIA Novosti".

O fechamento da fronteira aconteceu depois que a Geórgia informou de 12 casos de contágio do vírus da gripe suína em seu território, e depois de novas acusações mútuas de tiroteios na fronteira entre georgianos e separatistas.

As tensões e as trocas de acusações entre Geórgia e Ossétia do Sul, apoiada pela Rússia, aumentam à medida que se aproxima o primeiro aniversário da guerra russo-georgiana pelo controle dessa região, que aconteceu entre 8 e 12 de agosto de 2008.

Durante o conflito, o primeiro travado contra uma ex-república soviética, a Rússia invadiu a Geórgia e reconheceu a independência de duas regiões separatistas georgianas, Ossétia do Sul e Abkházia, onde instalou bases militares.

A União Europeia (UE) afirmou hoje que seus observadores na Geórgia "não registraram evidências" que respaldem as acusações de bombardeios na fronteira administrativa da Ossétia do Sul, e manifestou "preocupação" com os relatos. EFE si/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG