Nações Unidas, 27 fev (EFE).- A atual presidente da Organização para a Cooperação e a Segurança na Europa (OSCE), Dora Bakoyannis, reafirmou hoje a vontade do organismo de manter os observadores que tem na Geórgia, apesar da oposição russa.

Bakoyannis, ministra de Relações Exteriores da Grécia, afirmou em um discurso ao Conselho de Segurança da ONU que a prioridade de seu país na Presidência da OSCE, que vai até o fim 2009, "é fortalecer a presença".

"Nossa posição é clara: a OSCE tem que atuar mais, e não menos, na Geórgia e a Presidência grega tem a intenção de desempenhar um papel ativo para alcançar esse fim", disse.

Ela avaliou o recente acordo com a Rússia para manter 20 observadores até 30 de junho e a renovação, há duas semanas, do mandato da missão da ONU na Abkházia como "um reconhecimento de que se necessita das Nações Unidas e da OSCE na zona".

Bakoyannis também destacou o acordo firmado no dia 18 de fevereiro por Rússia e Geórgia nas negociações de Genebra para estabelecer um mecanismo com o qual evitar o aumento das tensões.

Por sua parte, o embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, comentou na saída da reunião que seu país mantém suas críticas à atuação do organismo regional durante a guerra de agosto no Cáucaso.

Segundo ele, se os observadores da OSCE "tivessem feito seu trabalho adequadamente" em agosto, em relação aos preparativos bélicos da Geórgia na fronteira com a Ossétia do Sul, o Conselho de Segurança poderia evitar a ofensiva georgiana contra a região separatista que levou à intervenção russa. EFE jju/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.