OSCE quer permanecer na Geórgia, Rússia é contra

Nações Unidas, 27 fev (EFE).- A atual presidente da Organização para a Cooperação e a Segurança na Europa (OSCE), Dora Bakoyannis, reafirmou hoje a vontade do organismo de manter os observadores que tem na Geórgia, apesar da oposição russa.

EFE |

Bakoyannis, ministra de Relações Exteriores da Grécia, afirmou em um discurso ao Conselho de Segurança da ONU que a prioridade de seu país na Presidência da OSCE, que vai até o fim 2009, "é fortalecer a presença".

"Nossa posição é clara: a OSCE tem que atuar mais, e não menos, na Geórgia e a Presidência grega tem a intenção de desempenhar um papel ativo para alcançar esse fim", disse.

Ela avaliou o recente acordo com a Rússia para manter 20 observadores até 30 de junho e a renovação, há duas semanas, do mandato da missão da ONU na Abkházia como "um reconhecimento de que se necessita das Nações Unidas e da OSCE na zona".

Bakoyannis também destacou o acordo firmado no dia 18 de fevereiro por Rússia e Geórgia nas negociações de Genebra para estabelecer um mecanismo com o qual evitar o aumento das tensões.

Por sua parte, o embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, comentou na saída da reunião que seu país mantém suas críticas à atuação do organismo regional durante a guerra de agosto no Cáucaso.

Segundo ele, se os observadores da OSCE "tivessem feito seu trabalho adequadamente" em agosto, em relação aos preparativos bélicos da Geórgia na fronteira com a Ossétia do Sul, o Conselho de Segurança poderia evitar a ofensiva georgiana contra a região separatista que levou à intervenção russa. EFE jju/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG