Óscar Arias não vê avanços em Honduras devido à intransigência de Micheletti

San José, 25 set (EFE).- O presidente da Costa Rica, Óscar Arias, não vê avanços reais na crise hondurenha apesar do retorno ao país do presidente deposto Manuel Zelaya, devido à intransigência do Governo de fato de Roberto Micheletti.

EFE |

Arias, que é mediador no conflito, disse em uma entrevista à emissora local "Monumental" que "as coisas estão mal". "Podem se sentar para negociar de novo, mas não se movimentou uma polegada o Governo de fato desde que chegou no primeiro dia a San José dom Roberto Micheletti", assegurou.

"Ainda não há nenhuma possibilidade que admitam a restituição de Zelaya antes das eleições (de novembro)", lamentou o governante e Prêmio Nobel da Paz de Nova York, onde participou esta semana da Assembleia Geral das Nações Unidas.

"Os candidatos (presidenciais hondurenhos) falaram com Micheletti e com Zelaya e querem voltar a sentar à mesa para dialogar", disse o governante.

"Isso é bom, mas não quer dizer que haja flexibilidade, desejo ou vontade de ceder um pouco e cumprir com uma das coisas mais importantes contempladas pelo Acordo de San José, que é o retorno de Zelaya como presidente constitucional".

O presidente costarriquenho disse que por enquanto não tem intenção de viajar para Honduras para continuar com seus trabalhos de mediação.

"Não pensei em ir a Honduras (...) Me parece que o trabalho prévio deve ser feito pelos chanceleres (em uma missão da OEA), mas a última notícia é que o Governo de fato não os quer deixar entrar", disse.

Arias iniciou um processo de diálogo entre as partes pouco depois do golpe de Estado do dia 28 de junho passado e para resolver a crise propôs a assinatura de um documento que chamou Acordo de San José, no entanto, o ponto da discórdia continua sendo a recusa do Governo de fato para permitir o retorno de Zelaya ao poder. EFE nda/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG