Os maiores terremotos na Itália em 25 anos

Seguem os terremotos mais violentos dos últimos 25 anos na Itália, cujo centro foi atingido nesta segunda-feira por um violento tremor de terra que deixou pelo menos 100 mortos, de acordo o balanço provisório mais recente.

AFP |

- 13 dez 1990: Um tremor de terra atingiu a Sicília, entre Catânia e Ragusa, deixando 17 mortos e 200 feridos,

Em 5 de maio, um forte tremor deixou quatro mortos perto de Potenza, em Basilicate (sul).

- 26 de setembro e 3 de outubro de 1997: Dois terremotos atingiram a Úmbria (centro) e os Marches (centro-oeste), a uma semana de intervalo, deixando 12 mortos, mais de 110 feridos e 38.000 desabrigados. O terremoto devastou diversos vilarejos de montanha e destruiu edifícios históricos, entre eles a basílica de São Francisco de Assis, onde quatro pessoas foram mortas pela queda de uma pilastra.

- 17 de julho de 2001: Pelo menos três mortos num tremor de terra no Alto Ádige, perto de Bolzano (norte).

- 6 de setembro de 2002: Um terremoto matou duas pessoas em Palermo (Sicília).

- 31 de outubro de 2002: 30 pessoas morreram e 60 foram feridas na cidade de San Giuliano di Puglia (Molise, centroeste) atingidas por um violento tremor de terra. 27 crianças e seus professores foram encontrados mortos em sua escola, nos escombros do telhado que desabou. Duas outras mulheres morreram no desabamento de sua casa. O vilarejo não estava incluído na zona de risco.

- 6 de abril de 2009: Um violento tremor de terra atingiu o centro da Itália, deixando ao menos 50 mortos e mais de 50.000 desabrigados, segundo balanço oficial ainda provisório. A Aquila, capital da província montanhosa dos Abruzzes, é a cidade mais atingida pelo terremoto.

Todo território italiano, que se estende sobre diversas placas tectônicas, está fortemente exposto a tremores de terra.

Em 23 de novembro de 1980, um forte terremoto atingiu a Campagna (centro) e o Basilicate (sul), deixando 2.916 mortos e 20.000 feridos na região de Nápole.

Os terremotos mais violentos que atingiram a Itália foram os de 28 de dezembro de 1908, no estreito de Messina, no sul do país, deixando, segundo dados aproximativos da época, quase 95.000 mortos entre as cidades de Messina e Reggio Calabria, e o de 13 de janeiro de 1915 que deixou 30.000 mortos na região dos Abruzzes.

acm/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG