Os cem primeiros dias de Obama: quadro sobre promessas cumpridas ou não

Algumas foram mantidas, poucas foram quebradas, mas a imensa maioria está em andamento: em 100 dias na Casa Branca, o presidente Barack Obama não pôde realizar senão uma parte de suas promessas de campanha.

AFP |

Segundo o "obametre", um quadro com mais de 500 promessas eleitorais acompanhado em tempo real pelo jornal St. Petersburg Times no site "politifact.com", o presidente manteve 27 promessas e quebrou seis. Seguem as principais:

AS PROMESSAS MANTIDAS:

- Ordem dada ao exército de se retirar do Iraque.

- Envio de duas brigadas suplementares ao Afeganistão.

- Pronunciamento de um discurso "diante de um grande fórum muçulmano": feito diante do parlamento turco no dia 6 de abril.

- Fim das restrições ao envio de dinheiro e a viagens dos cidadãos cubano-americanos a Cuba.

- Criação de um fundo de prevenção das execuções hipotecárias. Custo previsto: 75 bilhões de dólares.

- Autorizar a pesquisa sobre células-tronco embrionárias.

- Nomear Republicanos para o governo.

- Dar um cachorrinho às filhas, Malia e Sasha.

AS PROMESSAS QUEBRADAS:

- Reconhecimento do genocídio armênio.

- Criação de uma isenção de impostos de 3.000 dólares para as empresas que criam empregos.

- Impedir "lobbyistas" de trabalhar para o governo.

AS PROMESSAS PARALISADAS:

- Reconhecimento de homossexuais no exército.

AS PROMESSAS EM CURSO:

- Fechamento da prisão de Guantanamo no mais tardar no início de 2010.

- Abolição da tortura.

- Abolição dos centros de detenção secretos no exterior.

- Redução dos arsenais nucleares.

- Dobrar a ajuda ao desenvolvimento a 50 bilhões de dólares até 2012.

- Abolição das reduções fiscais concedidas pelo governo Bush aos que tenham rendimentos superiores a 250.000 dólares por ano.

AS PROMESSAS QUE RESTAM INTEIRAMENTE A REALIZAR:

- Introduzir normas sociais e ecológicas nos contratos comerciais.

- Desbloquear pelo menos 50 bilhões de dólares para a luta contra a Aids.

- Contratar pelo menos 100.000 portadores de deficiência na função pública.

- Abrir "Casas da América" em países muçulmanos.

- Trabalhar pela libertação de dissidentes no mundo inteiro.

- Pedir a China para cessar de manipular sua divisa.

bar/cel/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG