San Pedro Sula (Honduras), 3 jun (EFE).- O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, disse hoje que com a decisão da Organização dos Estados Americanos (OEA) de revogar a suspensão de Cuba do Sistema Interamericano aprovada em 1962 lava uma mancha.

Ortega, que permanece em San Pedro Sula, em Honduras, desde ontem, para participar da 39ª Assembleia Geral da OEA, disse que a decisão da organização representa "uma vitória de Cuba".

O governante reconheceu a contribuição dos Estados Unidos para o acordo de consenso alcançado após intensos debates entre os chanceleres e delegados desde terça-feira.

Nesse sentido, ressaltou que o de hoje "é um gesto positivo, uma pequena luz", que coloca à prova a vontade dos povos para dar um passo "que alguns dirão: tarde demais".

Acrescentou que a vitória obtida em San Pedro Sula por Cuba "dificilmente teria sido alcançada na Administração passada dos Estados Unidos", de George W. Bush, mas exigiu que esse país suspenda o embargo que mantém contra a ilha desde 1962.

Ortega também disse que os países da Alternativa Bolivariana para as Américas (Alba) estão "satisfeitos com estes resultados".

"Chegamos a esta circunstância porque Cuba não se vendeu, graças a que Cuba não se rendeu, frente às múltiplas agressões que sofreu nas múltiplas ordens; é um ato de reivindicação para nós mesmos e é uma vitória a mais do heroico povo cubano", disse o presidente nicaraguense. EFE gr/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.