Órgão regulador dos EUA descobre fraude piramidal de US$ 50 milhões

Washington - A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, em inglês) acusou nesta quinta-feira o financista Joseph Forte de ter idealizado uma suposta fraude que chegaria a US$ 50 milhões, e obteve uma ordem judicial que congela os ativos do investidor da Filadélfia.

EFE |

O órgão regular foi bastante criticado recentemente por não ter investigado as atividades do financista Bernard Madoff, acusado de uma fraude de US$ 50 bilhões.

De acordo com a denúncia da SEC, Forte obteve, fraudulentamente, US$ 50 milhões de pelo menos 80 investidores através da venda de ações sob a forma de participação limitada pela firma do financista.

A Comissão afirma que Forte disse aos poupadores que investiria os fundos em uma conta que aplicaria em contratos de futuros, entre eles ações do índice de futuros da Standard & Poor's 500.

"Apesar dos retornos impressionantes e sustentados que Forte informou aos investidores, ele perdeu dinheiro nas poucas transações que realizou, retirou milhões de dólares em supostas tarifas para uso pessoal sobre a base de um valor fictício da Forte LLP, e usou os fundos de investidores para pagar outros investidores", disse a SEC.

O diretor do escritório regional da SEC na Filadélfia, Daniel Hawke, disse que "Forte incorreu em mentiras, enganos e em um comportamento imaturo a custo de investidores inocentes, muitos dos quais se consideravam seus amigos e próximos".

"Usando dinheiro alheio, Forte prometeu e reportou retornos espetaculares por mais de 10 anos, e, devido à sua relação com seus investidores, os persuadiu a confiar nele e a investir mais de seus fundos", acrescentou.

A denúncia da SEC destaca que Forte operava sua fraude pelo menos desde 1995.

Leia mais sobre fraude financeira

    Leia tudo sobre: fraude

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG