Órgão muçulmano permite uso de cão guia na Inglaterra

LONDRES - Um órgão muçulmano britânico autorizou o uso de cão guia numa mesquita por um estudante cego, uma medida que foi saudada por grupos de defesa dos deficientes como inédita.

AP |

Acordo Ortográfico

O Conselho de Leis Muçulmanas (Shariah) do Reino Unido emitiu uma regra autorizando Mahomed-Abraar Khatri, 18, a levar seu cão guia à mesquita Bilal Jamia em Leicester, cerca de 160 km ao norte de Londres.

"Eu espero que isso abra algumas portas e faça com que as pessoas que precisam comprem seus cachorros sem se preocupar com restrições religiosas", disse Khatri.

Muçulmanos observantes veem os cachorros como animais sujos e eles não são permitidos nas mesquitas. Não se sabe se essa é a primeira vez que um cão será permitido numa mesquita britânica (ou se a medida teve precedentes em outros países). Ahmed Rehab, porta-voz do Conselho de Relações Islâmicas baseado nos Estados Unidos, afirmou não saber de casos similares na América.

A regra não permitirá a entrada do cão na sala de rezas, mas Khatri poderá deixá-lo numa antessala onde são deixados os sapatos.

O Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha, grupo que reúne todas as instituições da religião no país, disse estar satisfeito com a decisão.
"Os estudiosos pensaram muito sobre o assunto e exploraram a melhor saída para todos", disse Shaykh Ibrahim Mogra, secretário geral da instituição.

A Associação para Cegos Cão Guia descreveu a decisão como "um enorme avanço que beneficiará outros cegos e pessoas com vista parcial da religião muçulmana".

Leia mais sobre cegos


    Leia tudo sobre: cegos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG